Quarta Capa: A adaptação na tradução literária


A literatura romântica contemporânea consumida no Brasil é focada principalmente na literatura estrangeira (especialmente a americana). Os livros mais vendidos no país são os bestsellers mundiais e os que passam por adaptação cinematográfica. Quando lemos a literatura estrangeira, mergulhamos em histórias, culturas e expressões que não são nossas e que vamos absorvendo pouco a pouco.


Quem nunca suspirou com "O essencial é invisível aos olhos", frase marcante de O pequeno príncipe? Ou não chorou ao ler "Esse é o problema da dor. Ela precisa ser sentida", de A culpa é das estrelas? Ou ainda que sonhou acordada com os "gostos peculiares", do Sr. Grey, em Cinquenta tons de cinza? Bom, se você não tem o costume de ler os livros em inglês, essas expressões e enriquecimento cultural, proporcionado pela literatura estrangeira, chega até você através da tradução literária.


Mas o que é tradução? É o ato de traduzir ou transformar de uma língua para a outra. Ou seja, a tradução não é só transcrever o texto de um idioma para o outro. No caso da tradução literária, a tradução é quase como uma reescrita de determinado livro, o que torna o tradutor um coautor. É por isso que quando uma editora contrata um tradutor para trabalhar em determinado livro, ele precisa assinar um contrato de cessão de direitos pela tradução da obra para que a editora possa publicar, pois os direitos de publicação do livro pertencem a editora, mas os direitos da tradução são do profissional que trabalhou no livro e ele precisa autorizar a sua utilização.


Na chamada literatura comercial, em especial, o tradutor não irá só transcrever de um idioma para o outro. Ele precisa ter uma conexão com o gênero e universo em que vai traduzir. Ele precisa compreender a cultura, o povo, costumes e, principalmente, o que o autor quis dizer. É preciso contextualizar de forma que o leitor compreenda e se identifique.


Existem livros em que o autor utiliza frases ou expressões que não existem em português. Ou que possuem significados completamente diferentes. Ou ainda, que ao traduzir ao "pé da letra", a expressão - às vezes até o título do livro - não fique sem sentido por aqui. Então é preciso adaptar. Mas ao contrário do que alguns pensam, o tradutor não vai mudar a obra, muito pelo contrário. Ele precisa transcrevê-la de forma que fique acessível aos leitores. Que as gírias e expressões idiomáticas façam sentido para quem lê.



Trazendo esse assunto para o universo Bookmarks, podemos dar como exemplo o titulo do nosso último lançamento: Depois da Tempestade. O original, Standing Sideways, é uma expressão que pode significar que as coisas deram errado ou ainda estar sob a influência do álcool. Não daria um bom nome de livro, não é mesmo?


Então, durante o processo de tradução, a tradutora encontrou no texto uma citação que se encaixa em todo o contexto da história (sem spoilers, quem leu, vai entender) e sugeriu a mudança. Ou ainda Projeto bebê, em que o título original era Baby Proposal. Ao pé da letra, a tradução seria "proposta de bebê". Nada atrativo, não é?


Viu como é um processo muito mais amplo do que apenas transcrever o texto em inglês para o português?


Esse processo de adaptação se dá também quando nos deparamos com determinadas marcas que não existem no Brasil. Quem leu Apenas Amigos, de Elizabeth Grey, deve se lembrar da cena hilária no primeiro capítulo, quando Violet está na cama com Stuart e ele tem problemas para controlar a libido?

"Você é tão gostosa. Sinto muito. Não pude evitar." Ele tira a calça melada para revelar um pênis que pode ser comparado a uma Nhá Benta comida pela metade: triste, murcha e oca. Ele cruza as pernas na tentativa de ocultar sua vergonha, mas, infelizmente, não é preciso muito para esconder aquilo.

No original, a autora se refere a Walnut Whip, um doce inglês similar a nossa Nhá Benta. Já imaginou se a tradutora tivesse mantido o nome original? Todo o humor da cena teria se perdido, já que não conhecemos essa marca no Brasil.


Interessante, não é mesmo?


Esse tipo de adaptação pode acontecer também em apelidos, gírias, bordões, xingamentos e em muitas outras situações!


É por isso que o trabalho do tradutor e da equipe de revisão e edição é tão importante, pois é através desses profissionais que temos acesso a histórias com leitura mais fluidas e linguagem mais próxima da nossa cultura, mantendo o sentido que o autor quis nos passar.


Você sabia que os livros passavam por esse tipo de adaptação? Tenho certeza de que nas próximas leituras você vai ficar atento aos detalhes e, quando ler algo que faça referência a uma marca ou um gíria mais brasileira, vai se lembrar desse nosso papo, não é mesmo?


Até a próxima!

1 visualização
Assine nossa newsletter

© 2020 por Editora Bookmarks

contato@editorabookmarks.com | Caixa Postal: 1037 - CEP 13500-972 - SP